7 jeitos de transformar a cidade com arte urbana

Fernanda Carpegiani

Dá para dizer que a arte é uma forma universal de comunicação. E também de transformação. Ainda mais se estamos falando de arte urbana. Inspiradas pela nossa palestra na Semana de Artes Plásticas da FAAP, fizemos uma lista de projetos que usam a arte para transformar os espaços da cidade. Se você pensou em grafite e lambe-lambe, vai se surpreender!

1) Acupuntura urbana

Antes de mais nada, precisamos dizer que esse nome é maravilhoso e auto-explicativo. Da mesma forma que a acupuntura ativa pontos do corpo com agulhas para circular a energia e melhorar a saúde das pessoas, o Acupuntura Urbana ativa espaços urbanos. O grupo de arquitetas mapeia os desejos de comunidades e transforma espaços públicos de bairros em São Paulo junto com quem mora no entorno. A gente acompanhou a ação que elas fizeram na Praça do Samba, em Perus, na periferia da zona norte paulistana.

2) Imargem

O coletivo de artistas do Grajaú, extremo sul do município de São Paulo, discute arte urbana, meio ambiente e direito à cidade. O Imargem existe há mais de 10 anos e faz murais, esculturas, oficinas, eventos e debates pela cidade. Dessa forma, eles falam sobre democratização da arte, relação com o meio ambiente e convivência nos espaços públicos. Dá para ter uma boa ideia de como eles fazem isso assistindo ao nosso vídeo aqui embaixo.

 

3) Ateliê Azu

Arte também é estética, e estética também muda a relação das pessoas com a cidade. Assim é o trabalho do artista plástico Elcio Torres, criador do Ateliê Azu. O projeto começou em 2008 com a ideia de enfeitar muros e escadas de comunidades com azulejos coloridos. Isso mudou a forma como as pessoas viam e habitavam espaços que eram totalmente abandonados. Afinal, quem não gosta lugares bonitos? Além disso, o ateliê faz oficinas de cerâmica e azulejo para capacitar pessoas  gerar renda com essas atividades.

escadaria monte alegre reformada pelo ateliê azu

 

4) Aqui bate um coração

Tá aqui uma prova de que não é preciso muito pra fazer arte urbana. Bastou um coração vermelho colado em estátuas e monumentos históricos de São Paulo para tudo mudar. O grupo Aqui bate um coração faz este tipo de intervenção em diversas cidades do Brasil, da Europa e da América Latina. Isso provoca reações inusitadas nas pessoas, ao mesmo tempo que espalha um pouco de amor pela cidade. Eles produziram um vídeo da ação que rolou em São Paulo, olha só:

5) Vídeo Guerrilha

Imagine poder transformar a cidade sem mexer em absolutamente nada. Isso é possível e tem nome: video mapping. São projeções feitas em fachadas de prédios, muros e outras estruturas. Ao mesmo tempo que brincam com a arquitetura, as intervenções trazem luz para os espaços (de forma literal e filosófica!). Em 2012, o VJ Alexis Anastasiou criou o Vídeo Guerrilha, que projetou obras de mais de 100 artistas em prédios da Rua Augusta, no centro de São Paulo! Veja como foi:

6) Cidade ativa

As escadarias espalhadas por alguns bairros de São Paulo serviram de inspiração para o grupo Cidade Ativa. Formado por arquitetos, o projeto começou reformando uma escadaria em Pinheiros, com a participação dos moradores do local. A gente acompanhou e registrou essa ação (veja na galeria abaixo). Além disso, hoje eles também incentivam comportamentos mais ativos na cidade com pesquisas, projetos e campanhas para criar espaços urbanos mais inclusivos, resilientes e saudáveis.

membros do coletivo cidade ativa
visão de cima da escadaria reformada pelo cidade ativa
escadaria de pinheiros antes da reforma do cidade ativa
homem pintando banco durante ação do cidade ativa
processo de montagem de mesa de madeira feita pelo cidade ativa
mesa de madeira com bancos feita pelo cidade ativa
mulher varrendo área de escadaria de pinheiros em ação do cidade ativa
banco colocado em escadaria de pinheiros pelo grupo cidade ativa
homem pintando muro de escadaria em ação do cidade ativa com arte urbana

7) Mapa afetivo colaborativo de Pinheiros

Pode fazer auto-propaganda? Pode, né? Porque o Formiga-me também tem sua pitada de arte urbana. Nosso projeto mais legal nesse sentido foi o mapa afetivo colaborativo de Pinheiros, feito em parceria com a Brewhouse da cervejaria Goose Island, no Largo da Batata. Ele tinha 10 metros de comprimento e convidava as pessoas para escrever experiências, memórias, dicas e lugares preferidos da região. A gente conta mais sobre isso no vídeo que gravamos quando o mapa foi colado, ó:

Viu como existem muitas maneiras de ocupar a cidade com arte, afinal?

Quem sabe você não se inspira e faz a sua também! Depois conta pra gente

Deixe um Comentário

Ademar, morador do Itaguá, no barco fazendo a limpeza do rioVoluntárias plantando mudas na Horta das Corujas