Dia Mundial do Meio Ambiente: 4 projetos sobre natureza e cidade

Fernanda Carpegiani

No dia 5 de junho é celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente. Mas o que isso tem a ver com as cidades? Apenas tudo. Às vezes a gente não percebe, mas todo esse concreto à nossa volta já foi mato. E como a gente cuida (ou não) da cidade impacta super nesse espaço vivo.

Dia Mundial do Meio Ambiente: e eu com isso?

Essa data foi criada pela ONU em 1972 para chamar a atenção das pessoas para os problemas ambientais do planeta. Não é maluco imaginar que 46 anos atrás isso já era uma questão? Este ano, o alerta que o Dia Mundial do Meio Ambiente traz é para o excesso de plástico do mundo.

Sabia que a cada minuto são compradas 1 milhão de garrafas plásticas? Ao mesmo tempo, demora cerca de 450 anos para que cada uma dessas garrafinhas aparentemente inofensivas se decomponha e desapareça, diz a ONU.

E se por um lado a situação tá bem ruim, por outro existe muita gente cuidando da natureza em plena selva de pedra. Conheça quatro projetos que protegem o meio ambiente na cidade.

1) Imargem

A gente sempre fala do Imargem, porque eles trabalham com três temas super importantes: arte, meio ambiente e direito à cidade. Uma das ações que eles fizeram foi recolher lixo da represa Billings, uma das maiores do mundo em área urbana, e transformar em esculturas.

As obras foram instaladas nas margens da mesma represa, para chamar a atenção das pessoas para o problema do descarte inadequado por ali. Se quiser saber mais sobre esse projeto, é só ler e assistir a reportagem que fizemos sobre eles.

Lixeira-obra instalada nas margens da represa Billings.

Lixeira-obra instalada nas margens da represa Billings. Crédito: Fernanda Carpegiani

2) Horta das Corujas

Essa iniciativa fala por si só, né? Não tem coisa mais positiva para o meio ambiente do que criar e cuidar de espaços verdes na cidade. Ainda mais se eles forem colaborativos e produtivos, como é o caso da Horta das Corujas.

Uma das primeiras hortas comunitárias de São Paulo, essa roça urbana no meio da Vila Madalena tem borboletas e abelhas, além de alimentos dos mais variados tipos. Tem até berinjela! A gente conheceu a horta e conversou com uma das fundadoras, a Cláudia Visoni. No vídeo abaixo, gravado por nós na Virada Sustentável, a Cláudia diz que as hortas urbanas são uma forma de curar a nossa relação com os espaços públicos.

3) Rios e Ruas

Sabemos que é difícil de acreditar, mas existem mais de 300 rios enterrados em São Paulo! Quem prova isso é o pessoal do Rios e Ruas, com suas expedições para redescobrir os rios da cidade. O passeio começa com um bate-papo sobre os rios invisíveis.

Depois, as pessoas caminham pelas ruas e têm um contato direto com as águas que correm pelas sarjetas, embaixo do asfalto e até mesmo a céu aberto. A experiência é incrível! Para saber mais sobre esse projeto, dá uma olhada na nossa reportagem sobre o Rios e Ruas.

Mapa gigante dos rios de São Paulo.

Mapa gigante dos rios de São Paulo. Crédito: Divulgação

4) Festival Praça da Nascente

E se tem rio em SP, também tem nascente, oras! Os moradores da Pompéia desenterraram e canalizaram vários olhos d’água da Praça Homero Silva. Em seguida, rebatizaram o lugar, que virou Praça da Nascente. Assim, em 2013, o grupo chamado Ocupe&Abrace começou a transformar o maior espaço verde do bairro, que antes era totalmente abandonado.

Logo depois, nasceu também o Festival Praça da Nascente, com várias edições ao longo dos anos. Olha só o nosso vídeo sobre o evento:

 

E aí, bora aproveitar o Dia Mundial do Meio Ambiente para começar as nossas próprias ações na cidade? Pode ser cuidar das plantas que estão na rua ou na praça, recolher lixo da calçada ou até mandar esse texto para quem acha que ninguém faz nada pela natureza.

Afinal, um pequeno passo já muda muita coisa!

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

escadaria monte alegre reformada pelo ateliê azu