As Formigas de Ubatuba colocaram a mão na massa

Em outubro de 2016, o Formiga-me desceu a serra e aportou em Ubatuba, cidade do litoral norte de São Paulo. Fizemos uma oficina com os moradores do bairro do Itaguá para levantar problemas e soluções da beira do rio Tavares. Importante curso d’água da cidade, o rio separa o centro do Itaguá. Um dos problemas que discutimos foi o descarte indevido de lixo e esgoto.

Moradores do entorno do rio Tavares depois da oficina do Formiga-me

A oficina com os moradores do entorno do rio Tavares foi debaixo de chuva!

Depois do encontro, continuamos conversando com as Formigas de Ubatuba. Fizemos um vídeo com dicas para implementar as soluções sugeridas por eles. O grupo se organizou pelo WhatsApp e mais pessoas se juntaram.

Uma delas foi Ademar Pereira da Silva, que já há algum tempo retirava sozinho os lixos e entulhos que encontrava nas margens do rio. Com a movimentação do grupo, ele sugeriu estender a limpeza das margens para dentro do rio.

A limpeza do rio Tavares, em Ubatuba

Em julho deste ano, Ademar se juntou com outros dois moradores da região, Paulo Vieira e Fabio Valente, e os três subiram o rio em um barco a remo. O que eles viram é impressionante.

Garrafas de plástico encontradas dentro do rio Tavares, em Ubatuba

Olha o tanto de garrafa de plástico que tinha dentro do Rio Tavares!

Televisão e garrafas plásticas dentro do rio Tavares

Tinha até televisão. Outros materiais encontrados foram portão de ferro, geladeira, tábuas e bambus.

Moradores ao lado do lixo no barco usado na limpeza do rio Tavares

Os moradores dividiram o barco com os resíduos encontrados durante a expedição.

O Ademar e o Fabio ainda fizeram uma segunda expedição de limpeza no rio, desta vez com um barco a motor cedido pelo Centro Náutico Uba-uba, onde o Fabio trabalha. Olha só o depoimento que ele fez no grupo das “formigas de Ubatuba”:

“Em certas partes o acúmulo de lixo na superfície chega a fechar as passagens. Em vários momentos o motor do bote teve que ser levantado e desligado. A maior parte do braço do rio corre por bairros de subúrbios, centenas de canos saem diretamente das ‘fossas’ das casas para o mangue. Sem contar os resíduos sólidos. É muito plástico e muito isopor. Porém depois de algumas poucas horas de trabalho de retirada de muito lixo na superfície, o que se vê é uma água quase que cristalina. Realmente somos formigas. Dá para melhorar. Mas precisamos mesmo é de uma campanha muito forte de conscientização. Seria o mínimo que o poder público poderia fazer.”

Resultados imediatos

As participantes do grupo Denise Carpegiani e Isabela Márcia ficaram encarregadas de comprar sacos de lixo reforçados para ajudar da limpeza do rio. O material retirado foi vendido em uma estação de reciclagem e uma parte do dinheiro cobriu os custos da compra dos sacos. A outra parte virou uma caixinha do grupo para futuras ações.

“Uma semana depois da primeira expedição no rio veio uma equipe da prefeitura fazer a limpeza do canteiro central da nossa rua, cortaram a grama. Eu moro em Ubatuba há três anos e foi a segunda vez que os funcionários da prefeitura atuando. A primeira foi na época das eleições”, conta Denise. Ela acredita que o rio precisa de uma ação especializada, para fazer drenagem e desassoreamento.

Barco usado na limpeza do rio Tavares com lixo dentro

Depois da limpeza, o barco ficou lotado.

Um rio e uma cidade mais limpos

Agora, as Formigas de Ubatuba estão se articulando para começar um trabalho de conscientização da população sobre o descarte de material e esgoto no rio. O Ademar contou que a água está mais limpa e que ele voltou a ver peixes nadando por ali. “O grupo está organizado e agradece as pessoas que estão colocando a mão na massa. Minha vontade para o futuro de Ubatuba e dos nossos filhos é deixar o rio e a cidade limpos. A gente espera que as pessoas venham visitar.”

Fica então o convite do Ademar – e o nosso! – para quem ainda não conhece Ubatuba. Além de ter mais de cem praias, a cidade inspira com esse e outros exemplos de mobilização para melhorar a vida na cidade.

Imagem do rio Tavares sem lixo, com aves e água cristalina

E a diferença do rio Tavares sem todo aquele lixo?

Comments

comments

Tags

Sobre o autor

Fernanda Carpegiani

Fernanda Carpegiani

E-mail

Jornalista, paulistana, urbana e inquieta. Gosta de: ir à praia, falar sobre a vida, buscar sentido para tudo, acariciar gatos, almoçar com a família e sair com os amigos. Não gosta de: desperdício, intolerância, coisas artificiais e falta de sensibilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *