Como seria uma utopia de cidade para mulheres?

Fernanda Carpegiani

Se você pudesse imaginar uma cidade ideal para as mulheres, como seria esse lugar? Que tipo de experiência, sensações e espaços existiriam lá? Esse foi um dos assuntos da 3ª roda de conversa Mulheres na Cidade, organizada pelo Formiga-me em parceria com o Druma Yoga. Assim como nas últimas edições, o encontro aconteceu no último sábado do mês, dia 25 de maio.

Para começar, falamos sobre o financiamento coletivo do Guia Mulheres na Cidade e a nossa ideia de mapear espaços e iniciativas para mulheres em São Paulo. Em seguida, fizemos um exercício de utopia. Quem explicou a proposta foi a formiga-historiadora Carmen Guerreiro.

Segundo a Carmen, as utopias estão em tudo o que fazemos. Isso porque nosso modo de vida é totalmente baseado em ideais que foram criados por nós mesmos ou por outras pessoas. Por exemplo, o modelo econômico em que estamos inseridos, a religião que escolhemos, a ideia de justiça social, entre outros.

Depois dessa breve aula, veio a pergunta: como seria então uma cidade ideal para mulheres? A partir desse questionamento, sonhamos e pensamos juntos sobre a utopia de uma cidade para mulheres. Assim, colocamos no papel ideias, problemas, soluções e devaneios. Dá só uma olhada no que surgiu desse experiência.

Uma utopia de cidade para mulheres

  • Liberdade/ voar
  • Não ser julgada inferior quando entrar em um local. Ser ouvida antes de julgada. Andar pela cidade calma, tranquila, sem pressa
  • Expressão
  • Padrões (beleza, saúde): rua/cidade como passarela
  • Poder de decisão
  • Ritmo desacelerado. Espaços de descanso, bancos, hortas, espaços de permanência (frente de comércios com lugares de descanso não só para quem está consumindo), calçadas largas, grama, pisos permeáveis.
  • Pessoas que olham com reconhecimento um ao outro. Sorrisos, calma, ajuda, respeito.
  • Sem padrão
  • Dispositivo que detecta comportamentos invasivos e avisa as pessoas ao redor. Waze de segurança para mulheres
  • Andar pelo mundo
  • “Eu não sou um homem fácil” (filme): um dia pele de uma mulher, observatório do assédio ou observatório da mulher, por exemplo
  • Acesso a alimentação de qualidade (não por estética e sim saúde)
  • Conseguir voltar para casa tranquila
  • Respeito à individualidade e autoestima
  • Como retirar dos homens essa sensação de poder sobre a mulher dentro da sociedade
  • Aula nas escolas sobre masculinidades positivas
  • Rua para mulheres: fiscais do assédio, por exemplo
  • Sonhos
  • Culpa: não fazer o suficiente, pessoal x profissional, estupro, modéstia x autovalorização, ser quem se é, tirar tempo para si
  • [Espaço Livre], [Igualdade financeira], [Iluminação], [Lugar de fala em qualquer lugar], [Cidade plural coletiva], [Exercício de tolerância]

Parecem só palavras desconexas, né? É que não foi fácil fazer exercício utópico mesmo. Concluímos que existem muitos problemas para as mulheres na cidade, por isso é difícil imaginar um mundo ideal nesse sentido. Inclusive, todos concordamos em levar as ideias levantadas como lição de casa, para elaborar um pouco mais cada uma. Colocamos a lista aqui para que mais pessoas também possam fazer sugestões e comentários!

Vem fazer o Guia Mulheres na Cidade com a gente!

A ideia de uma cidade ideal para as mulheres tem tudo a ver com o Guia Mulheres na Cidade. Então, se você também acredita nessa utopia, vem fazer o guia com a gente! Falta pouco mais de um mês para o fim da nossa campanha, por isso precisamos da participação de todos e todas.

Para doar é só acessar www.mulheresnacidade.com.br. Assim como as rodas de conversa, o guia é a nossa forma de contribuir para uma cidade melhor para as mulheres – e para todo mundo. Vamos juntos e juntas?

View this post on Instagram

É difícil ser mulher na cidade. O medo de andar na rua não tem só a ver com a violência urbana, mas com uma série de inseguranças, culpas e vergonhas que carregamos com a gente por ser mulher. Por isso nós do @formigame decidimos mapear mais de 100 iniciativas no centro e nas periferias de SP para mulheres no guia Mulheres na Cidade. Para viabilizar esse projeto independente, estamos com um financiamento coletivo (link na bio – mulheresnacidade.com.br) no @catarse com recompensas sensacionais feitas por e para mulheres. Uma parte da grana vai para a produção do guia, e outra para essas parceiras incríveis: @maravilhosascdb @jessvieira_ah @gabeebrandao @thaiserre @ginecosofiabrasil @minabox_ @prazerela @liquidificador_de_cor @drumayoga @luna.daubian Juntamos um time de peso de arte e conteúdo para tirar (e colocar) essa ideia do papel: @enoisconteudo @revistaazmina @sampapesp @catarinabessell @desformatados @malu_echeverria @todacolorida @papodehomem Vem fazer o guia com a gente e tornar SP uma cidade melhor para as mulheres! #mulheresnacidade #saopaulo #cidadesparapessoas #mulheres

A post shared by Formiga-me (@formigame) on

Deixe um Comentário